Cid Guerreiro é atração confirmada no Impacto de Carnaval 2020

O Impacto de Carnaval 2020 está chegando, igreja! E quem já confirmou presença  foi o cantor e compositor Cid Guerreiro, que vai se apresentar no sábado (22). Com muita alegria, ousadia e liberdade, o artista levará à Praça da Fé suas músicas do ritmo de axé que expressam de uma forma leve e agradável a mensagem do amor de Jesus. 

História: Com mais de 35 anos de carreira musical, Cid Guerreiro tem um testemunho impactante que ainda hoje atrai muitas pessoas para o amor de Jesus. Quando jovem decidiu que iria ter muita fama, dinheiro e sucesso e colocou essa meta acima de tudo e de todos, inclusive de Deus.  No entanto, sempre sentiu a necessidade de conhecer a Deus e por isso chegou a participar e praticar diversas religiões, como Igreja Católica, candomblé, macumba, Seicho-No-Ie, além de jogar cartas, runas e pedras. “Eu dizia que tinha Deus que guarda lá em cima e também meus anjos, meus caboclos, meus índios, meus patuás, meus guinés, eu acreditava que tudo isso era representante de Deus”. Além disso, chegou a criar uma seita chamada “Querer é Poder” e acreditava que, para  tudo o que ele quisesse, bastava colocar sua energia na chave, no palito, no anel ou no que fosse e com essa energia conseguiria alcançar as coisas que ele almejava.

O cantor e compositor criou a música “Ilariê”, que foi gravada por Xuxa e foi traduzida para mais de 48 idiomas e dialetos. No entanto, por meio de um falso boato, foi denominado de “compositor do capeta”, o que o fez ter aversão ao ambiente evangélico. “Eu não suportava igreja evangélica, jogava pedra, não aguentava ver um pastor na rua”, disse.

Em uma noite do ano de 2004 passou mal com sintomas de taquicardia e pensou que ia morrer. Foi então que visitou a casa de um amigo onde estava sendo realizado um culto. “Eu tava lesado, ‘oh meu Deus, coisa boa, nunca vi isso’”. Mas, tinha muita resistência. “O pastor começou a pregar e eu falei ‘rapaz, não vou comer nada disso, esse cara quer falar desses negócios de igreja evangélica, vou nada, vou trancar meu coração, mas ele já estava amolecido’”, declarou.

Ao fim do culto, o pastor pediu que quem quisesse entregar a vida a Jesus levantasse a mão. “Eu tava tão envolvido com a Palavra, que minha mão subiu sozinha. Olhei para minha mão e disse ‘que negócio é esse, rapaz?’ Tentei baixar a minha mão, mas o braço não desceu e as lágrimas escorriam nos olhos”. Foi então que Cid Guerreiro falou com Deus.  “Meu pai, por todo amor que você tem por mim, se for o Senhor que está segurando a minha mão, segure com toda a força do mundo que eu nunca mais te largo e eu vou fazer a maior força que eu tenho na minha vida, mas diga se é o Senhor. Então, com toda a força que eu tinha, puxei minha mão e ela subiu mais ainda. Eu tive a certeza que Deus estava segurando a minha mão”.

Daí em diante, Cid Guerreiro tem trilhado uma trajetória sólida no Evangelho, sendo que toda a sua família já foi salva por Jesus. Além disso, tem utilizado o trio elétrico como estratégia para espalhar o amor de Jesus durante o Carnaval no circuito Barra-Ondina. “Antigamente eu fazia tudo para subir nos palcos e aparecer, hoje qualquer palco para mim é um altar, até mesmo o trio elétrico”, afirmou o ministro de Jesus.

Confira o testemunho de Cid Guerreiro: