Pages Menu
TwitterRssFacebook
  • bn1
  • bn2
  • bn3
  • bn4
  • bn5
  • bn6
bn11 bn22 bn33 bn44 bn55 bn66
jquery image slider by WOWSlider.com v5.3
Categories Menu

Início

Segunda-feira de desafios e vitórias

Por Rebeca Caldas / Gustavo Mercês / Myllene Ramalho (Equipe de Comunicação)
 

Gente! Chegamos ao penúltimo dia de atividades do Sal da Terra. Como o tempo passa rápido! Temos experimentado tantas coisas boas no Impacto de Carnaval 2015! Nesta segunda, então... grandes desafios nos aguardavam. O inimigo se alojou ao lado, mas saiu desta noite envergonhado. "Esse não é o nosso lugar", confessou o inimigo.
 
O desfile mais uma vez foi destaque. Marchamos pelas ruas do Pelourinho com o Ministério Equilíbrio abrindo alas, seguido do teatro infantil e da bateria e sopro do Sal da Terra. Atrás, os soldados cantavam e coreografavam as músicas.
 
Após o desfile, o grupo de capoeira Carvalho de Moré tomou conta do palco, como já é de costume, e chamou o público para interagir. Depois, o pastor Ednaldo chamou mais uma vez atenção através de truques de ilusionismo e mensagem evangelística, seguida de apelo. 
 
Já anoitecia quando o grupo de teatro Elohim subiu ao palco e fez uma peça sobre escravidão por vícios e prostituição. Quem também ministrou foi o Ministério Equilíbrio fazendo uma apresentação de dança e outra de drama. E lá vem o Coelho Quik com "O cego de Jericó, ele estava assim, ele estava assim...” 
 
A ministra indonésia Vashti cantou mais uma vez, aproveitando o momento para pedir perdão ao povo pela execução de um brasileiro em seu país. Enfatizou, emocionada, que os brasileiros são uma benção na Indonésia. 
 
 
O som de reggae do Pr. Guilherme Camargo tomou conta da Praça. Com o seu boné colorido e uma banda descolada, ele contagiou o evento e o povo parou para dançar e escutar as músicas que falavam de Jesus.
 
A última atração da noite foi chegando aos poucos. Uma turma de blusa preta e branca foi marcando presença no espaço. De repente, éramos os únicos da praça. 
 
 
A Bateria da escola de samba da Igreja Bola de Neve subiu ao palco e o seu samba-enredo ecoou pelas ruas do Pelourinho. Dois porta-bandeiras se apresentavam na frente dos músicos, hasteando um estandarte com o nome “Jesus” estampado em sua arte, coreografando as canções que propagam a mensagem do Evangelho.
 
Sabia que eles desenvolvem o Impacto de Carnaval lá em Santos? Já são 10 anos de trabalho e eles já têm até uma arena específica para realizar o evangelismo. No sábado da festa paulista, a bateria faz um arrastão nas areias da praia, passando em cada guarda-sol com o objetivo de alcançar a todos. Depois, tem show no palco principal. Isso traz umas inspirações, não?
 
Coisa mais linda ainda estava por acontecer. A banda do Sal da Terra subiu ao palco e se uniu à Bateria da Bola de Neve. Um encontro inusitado! “Esta é a primeira vez em que uma bateria do Sudeste une-se com outra do Nordeste, cada uma com a sua pegada particular. Somente o Deus da harmonia e da sincronia pode fazer isso”, afirmou o pastor da Igreja Bola de Neve, Eric Vianna.
 
E o pastor Bira, alegre que só com a vitória que conquistamos neste dia, já chegou anunciando “Eu acho que se inicia uma parceria entre os dois grupos, pois o propósito e o Deus são os mesmos”, celebrou. Motivo de festa mesmo é ver um monte de gente aceitar Jesus como Salvador. É essa a nossa recompensa.
 
O último dia ainda promete muita adoração e vidas alcançadas. Avante guerreiros do Sal da Terra!

 
Lázaro atrai uma multidão no domingo de Impacto de Carnaval
 
Por Rebeca Caldas (Equipe de Comunicação)


Chegamos ao terceiro dia de programação do bloco Sal da Terra. Domingo de carnaval e o Pelourinho está lotado de gente, que chega dá trabalho para o Sal da Terra passar! Mas tem uma vantagem, a rua tá assim de alma para a gente evangelizar.
 
Aos poucos, vamos percorrendo o nosso trajeto, enquanto o teatro infantil vai animando o pessoal na Praça da Sé. Aqui, a turma do Ministério Equilíbrio, com suas coreografias e o sorriso no rosto, junto com a bateria e o sopro do Sal da Terra vão conduzindo o bloco. Aqui pra nós, só Jesus pra dar tanta disposição a esse povo. Porque fácil não é não, viu?!
 
Ainda tem o pessoal que trabalha nos bastidores, de forma silenciosa, mas sem eles não tinha Impacto de Carnaval certo! Tem o pessoal da cantina, berçário, creche, aconselhamento e intercessão que ficam lá na igreja. No Pelourinho, a equipe da base, do lanche, os monitores, os centuriões, apoio, multimídia, informática, serviços gerais, estrutura de palco, montagem e desmontagem ficam à disposição para o que a gente precisar. Mesma coisa com o pessoal do transporte, é um leva e traz de gente... todo mundo gente boa!
 
Voltando para a programação do bloco, tivemos de tudo no palco. Capoeira Carvalho de Moré, Coelho Quik, Ministério Equilíbrio e Teatro Elohim. De repente, um burburinho no meio do povo, você já sabe que vem gente conhecida por aí.
 
Lázaro sobe no palco. Irmão, é nessa hora que você percebe o que Deus pode fazer na vida de uma pessoa. O povo do Pelourinho foi chegando, chegando... A "Praça da Fé” ficou pequena, as pessoas foram para a pista, subiram nas árvores. Também, com um testemunho daquele! “Eu fumei cocaína em todos os becos desse Pelourinho, vomitei em cada esquina dessa”, comentou Lázaro. Mas depois ele disse “Jesus mudou a minha vida”.
 
“... Quem era eu? Escravo do pecado/ Quem era eu? Escravo maltratado / Quem era eu? Ovelha perdida precisando de Deus!”
 

A ação de Jesus foi realmente poderosa. Uma multidão de gente se entregou ao Senhor naquela noite. E a equipe de evangelismo  trabalhou que só, preenchendo as fichinhas com os dados dos novos irmãos

3º Dia

Sábado com muitas atrações musicais no Bloco Sal da Terra

Por Rebeca Caldas

O primeiro dia de desfile do Bloco Sal da Terra foi uma bênção. Concentrados na sede da IBMI, o Ministério Equilíbrio, o grupo de teatro infantil, a bateria e sopro do grupo Sal da Terra e todos os soldados do bloco seguiram em direção ao Pelourinho para falar do amor de Deus ao povo.

No trajeto, muitos curiosos pararam para conferir o desfile, que chama muita atenção pela organização, sincronicidade de ações e riqueza de detalhes. Enquanto isso, a equipe de evangelismo estava em ação distribuindo folhetos e conversando com o público. Músicas tradicionais do meio evangélico fizeram a trilha sonora do desfile. Quem não se lembra da música “Videira”, “Bendito é o nome do Senhor”, “Os guerreiros se preparam”?

Enquanto isso, na “Praça da Fé”, o teatro infantil fez uma apresentação inspirada no tema de alimentação saudável que atraiu crianças e adultos para ouvir a mensagem de Jesus. Maçã, morango, uvas e outras frutas gigantes fizeram a animação da garotada. Ah! E ainda teve o pastor Ednaldo, com seus truques de mágica, o Coelho Quik e outro personagem, inédito, o Solzinho.

Em seguida, o grupo de Capoeira Carvalho de Moré tomou conta do palco e os capoeiristas evangélicos mais uma vez convidaram soteropolitanos e turistas para participar da roda. Tudo isso para a glória de Deus. Aleluia!

De noite, o evento contou com participações pra lá de especiais. Primeiro, a cantora Vashti, natural da Indonésia, que cantou em inglês, acompanhada de seu violão e de seu esposo, o gaúcho Luis Fernando. “No meu país a gente não tem a liberdade que vocês têm aqui. Eu creio que a cada ano vocês terão mais criatividade para atrair as pessoas”, afirmou a missionária que está participando o Impacto de Carnaval.

O grupo de hip-hop Maranatha, natural do Nordeste de Amaralina, se apresentou pela quinta vez no Impacto e evangelizou através de uma linguagem bem conhecida pela periferia da cidade. Para o vocalista Natanael Santos, o hip-hop facilita a divulgação do Evangelho, pois “usa a linguagem que as pessoas entendem e fala sobre a realidade sem rodeios”.  O grupo, que também é formado por Ricardo Morais, lançou o seu novo CD “Ainda há solução” e contou com a participação de Egeria Morais e de Luizinho, da banda Voz e Tambor.

O cantor Marcos Nunes fez uma apresentação bastante dinâmica no palco. Ele, que é baiano mas mora em Goiânia, mesclou o repertório do seu já conhecido forró universitário com músicas de pagode gospel. Esta foi a segunda vez que o cantor se apresentou no Impacto. “Este é um dos projetos mais legais que já participei e uma das melhores experiências que já vivi”, comentou.

O evento noturno contou ainda com apresentações de coreografias e dramas do Ministério Equilíbrio, peças teatrais pelo Grupo Eloim e apresentações de capoeira do grupo de capoeira Carvalho de Moré. E o pastor Ubirajara Gomes, além de apresentador do evento, coordenava as atividades e pregou para a multidão. Mais uma vez, muitas almas se entregaram a Jesus.

 

2º Dia


Sábado com muitas atrações musicais no Bloco Sal da Terra

Por Rebeca Caldas


O primeiro dia de desfile do Bloco Sal da Terra foi uma bênção. Concentrados na sede da IBMI, o Ministério Equilíbrio, o grupo de teatro infantil, a bateria e sopro do grupo Sal da Terra e todos os soldados do bloco seguiram em direção ao Pelourinho para falar do amor de Deus ao povo.

No trajeto, muitos curiosos pararam para conferir o desfile, que chama muita atenção pela organização, sincronicidade de ações e riqueza de detalhes. Enquanto isso, a equipe de evangelismo estava em ação distribuindo folhetos e conversando com o público. Músicas tradicionais do meio evangélico fizeram a trilha sonora do desfile. Quem não se lembra da música “Videira”, “Bendito é o nome do Senhor”, “Os guerreiros se preparam”?


Enquanto isso, na “Praça da Fé”, o teatro infantil fez uma apresentação inspirada no tema de alimentação saudável que atraiu crianças e adultos para ouvir a mensagem de Jesus. Maçã, morango, uvas e outras frutas gigantes fizeram a animação da garotada. Ah! E ainda teve o pastor Ednaldo, com seus truques de mágica, o Coelho Quik e outro personagem, inédito, o Solzinho.

 



Em seguida, o grupo de Capoeira Carvalho de Moré tomou conta do palco e os capoeiristas evangélicos mais uma vez convidaram soteropolitanos e turistas para participar da roda. Tudo isso para a glória de Deus. Aleluia!

De noite, o evento contou com participações pra lá de especiais. Primeiro, a cantora Vashti, natural da Indonésia, que cantou em inglês, acompanhada de seu violão e de seu esposo, o gaúcho Luis Fernando. “No meu país a gente não tem a liberdade que vocês têm aqui. Eu creio que a cada ano vocês terão mais criatividade para atrair as pessoas”, afirmou a missionária que está participando o Impacto de Carnaval.


O grupo de hip-hop Maranatha, natural do Nordeste de Amaralina, se apresentou pela quinta vez no Impacto e evangelizou através de uma linguagem bem conhecida pela periferia da cidade. Para o vocalista Natanael Santos, o hip-hop facilita a divulgação do Evangelho, pois “usa a linguagem que as pessoas entendem e fala sobre a realidade sem rodeios”.  O grupo, que também é formado por Ricardo Morais, lançou o seu novo CD “Ainda há solução” e contou com a participação de Egeria Morais e de Luizinho, da banda Voz e Tambor.

 



O cantor Marcos Nunes fez uma apresentação bastante dinâmica no palco. Ele, que é baiano mas mora em Goiânia, mesclou o repertório do seu já conhecido forró universitário com músicas de pagode gospel. Esta foi a segunda vez que o cantor se apresentou no Impacto. “Este é um dos projetos mais legais que já participei e uma das melhores experiências que já vivi”, comentou.

O evento noturno contou ainda com apresentações de coreografias e dramas do Ministério Equilíbrio, peças teatrais pelo Grupo Eloim e apresentações de capoeira do grupo de capoeira Carvalho de Moré. E o pastor Ubirajara Gomes, além de apresentador do evento, coordenava as atividades e pregou para a multidão. Mais uma vez, muitas almas se entregaram a Jesus.

 

1º Dia

Impacto de Carnaval entra em ação no Pelourinho

Por Rebeca Caldas (Equipe Comunicação)

 

13 de fevereiro de 2015. Sexta-feira de Carnaval. O Bloco Sal da Terra sai da Igreja Missionária da Independência (IBMI) com destino a Pelourinho para falar da mensagem da cruz aos transeuntes que irão curtir a festa.  Crianças, jovens, adultos e pessoas da terceira idade se uniram com um só motivo, que é mostrar a verdadeira alegria que vem de Jesus.

No primeiro dia, as atividades aconteceram apenas à noite, com apresentações musicais, de dança e teatro, no palco instalado na Praça da “Fé”. O evento iniciou-se  com apresentações do samba-reggae do grupo de percussão Sal da Terra, conduzido por Valdemiro Santos, ex-Olodum, que entoou canções acompanhado pelos tambores, com uma sonoridade já conhecida pelos moradores locais e de grande poder atrativo para os visitantes.

O ministério de dança Equilíbrio apresentou coreografias e dois dramas intitulados “Cadeias” e “Domínio” respectivamente. Um grupo de homens e mulheres vestidos de roupas coloridas preencheu todo palco com passos bem ensaiados e expressão alegre, representando as diversas situações que aprisionam a alma humana, nas quais somente Jesus pode trazer a libertação.

De uma forma bem lúdica, o pastor auxiliar Ednaldo Vitório deu vida ao Coelho Quik, que dessa vez estava com uma fantasia colorida e iluminada. Além disso, através de truques de mágica, o pastor pôde ilustrar diferentes formas de atuação do poder transformador de Jesus às crianças e adultos que se aproximaram atraídos pela encenação.

Berimbaus e tambores embalaram as apresentações de capoeira, conduzidas pelo grupo Capoeira Moré. As cantigas tradicionais do jogo deram lugar a canções evangélicas e jogadores de todas as idades representaram com o seu corpo a liberdade que vem de Deus. Na parte final da apresentação, pessoas que estavam assistindo puderam subir ao palco e jogar com os capoeiristas cristãos.

Em seguida, o pastor presidente da IBMI, Ubirajara Gomes, fez a pregação final do evento. Com uma abordagem instigante, o pastor convidou os presentes a refletir sobre a situação atual da vida em que levavam e apontou-lhes a ação restauradora de Jesus.

Em todo evento, podiam-se ver as equipes de evangelismo distribuindo folhetos e pregando para as pessoas. E o trabalho foi conferido por muitas de pessoas de todas idades que se aproximaram ao redor do bloco para ver as apresentações e escutar a mensagem de salvação. Bons frutos já foram colhidos no primeiro dia do bloco, em que muitas pessoas receberam a Jesus como Salvador de suas vidas.

O que é o Impacto de Carnaval?

 

Impacto de Carnaval é um evento de evangelismo em massa, promovido pela Igreja Batista Missionária da Independência, desde o ano de 2000,  realizado durante os cinco dias de carnaval, nas ruas do Centro Histórico de Salvador.

Um grupo de evangelistas preparados, atuam junto às pessoas que manifestam interesse por conhecer a Cristo e receber uma palavra de conforto. Há momentos em que as pessoas recebem ministrações de cura e libertação.

Como estratégia evangelística, foi formado um Bloco composto por equipes que ministram através da dança, capoeira, teatro, banda de percussão, sopro, teatro infantil, e etc.

 

 

“Olhem em volta de vocês e vejam os campos. Eles já estão maduros para a colheita” (João 4.35).

     O carnaval de Salvador pode ser visto por dois ângulos diferentes. Ele pode ser visto apenas como uma festa profana onde as pessoas dão vazão aos seus apetites carnais, pouco se importando com as consequências dos seus atos. Uma festa que beneficia a poucos e prejudica a muitos. Porém, podemos ver o carnaval de uma outra forma. Podemos ver o carnaval como um campo que está pronto para a colheita com muitos frutos maduros que esperam somente pelos trabalhadores que irão fazer a colheita. Podemos ver o carnaval como uma excelente oportunidade de pregar o evangelho e trazer as pessoas de volta para Jesus Cristo.

  

Essas duas maneiras de ver o carnaval são muito importantes porque delas dependem qual vai ser a nossa atitude em relação a festa. Se tivermos a visão do carnaval apenas como uma festa profana a nossa atitude vai ser de indiferença, de repúdio e de ficar longe da festa.

 

     Porém se olharmos para o carnaval como uma grande oportunidade que Deus nos dá de evangelizarmos as pessoas, nós vamos nos envolver nesse trabalho.

Meu irmão como você vê o carnaval?

Pr. Ubirajara Gomes e Silva

 

1. Porque a Bíblia diz que devemos pregar o evangelho em qualquer situação.

“... que pregue insistentemente a palavra de Deus em todos os momentos, sempre que tiver a oportunidade, a tempo e fora de tempo, quando for conveniente e quando não for. Corrija e repreenda, estimule-os a fazer o bem, e esteja todo o tempo alimentando as pessoas pacientemente com a palavra de Deus” (II Timóteo 4.2).

 

2. Porque o período de carnaval é um excelente momento para evangelizar. - Em que outra ocasião nós vamos encontrar tanta gente reunida em um só lugar?

3. Porque a presença da igreja no carnaval impede as ações de Satanás

(Tiago 4.7).

4. Porque a nossa função como crentes é sermos sal para a terra e luz para o mundo (Mateus 5.13-16).

5. Porque amamos a nossa cidade e não podemos deixá-la entregue a Satanás.

6. Porque Deus se importa com as pessoas que estão no carnaval e não quer que elas se percam.

7. Porque muitas pessoas que estão no carnaval estão à procura da paz e da alegria verdadeira e nós sabemos quem pode lhes dar essas coisas.

 Olhem em Volta

> Entrevistas

Eliene Jesus

Eliene Jesus

Líder Ministério Equilíbrio

Bob da Hora

Bob da Hora

Música eletrônica e evangelização

> Testemunhos

Renato Chaves

Renato Chaves

Nova criatura, novo pescador de homens

Rejane Oliveira

Rejane Oliveira

Vivendo uma nova vida em Jesus

Ademário Reis

Ademário Reis

Uma vida transformada através da Água da Vida


Clique aqui para acessar lista de pregações ministradas na IBMI

Áudio das Pregações Ministradas na IBMI (clique no tema da pregação)